Skip to content

O Fim do Mito de Ser Suplente nas Eleições





Descubra nesse artigo qual é o papel do suplente nas eleições.

Trabalhar nas eleições ainda gera muitas dúvidas aos cidadãos brasileiros. Nem todos conseguem compreender a necessidade da participação de pessoas como colaboradores da Justiça Eleitoral.

É fato que hoje o Brasil possui um dos modelos de votação mais avançados em tecnologia de todo o mundo.

Com as urnas eletrônicas, o registro e contagem dos votos acontece de forma ágil, facilitando não somente o trabalho de quem presta serviço, como também possibilita que os resultados sejam computados mais rapidamente.




Para colaborar no dia das eleições, a Justiça Eleitoral convoca cidadãos para trabalhar como mesários. Cada seção eleitoral conta com pelo menos quatro pessoas: o presidente da mesa, 1º e 2º mesários e um secretário.

Porém, pode acontecer de outra pessoa ter que ser chamada para cobrir uma eventual ausência.

Esse é o cargo de suplente nas eleições. Suplente é nada mais que uma pessoa que substitui outra que não cumpriu sua responsabilidade no serviço eleitoral.




Ele deve ocupar a vaga deixada por um dos convocados inicialmente, tomando conta de suas tarefas. Mas quais são as atribuições do suplente? Ele tem os mesmos direitos dos mesários convocados?

Para esclarecer essas e outras dúvidas, confira esse texto que tem o objetivo de por fim ao mito de ser suplente nas eleições.

Suplente nas Eleições
Suplente nas Eleições

O Que é Suplente nas Eleições

O cargo de suplente nas eleições é um dos que mais gera dúvidas.

fato que se encontram poucas informações a respeito do que faz quem é convocado para trabalhar essa função e isso acaba por gerar diversos mitos.



Antes de qualquer coisa precisamos entender que a vaga de suplente não é garantia de trabalho. Na verdade, é uma disponibilidade de substituir alguém que tenha sido previamente convocado.

Fazendo uma comparação com o futebol, o suplente funciona como um jogador que fica no banco de reservas. Caso o treinador perca algum atleta titular, o reserva entrará na partida.

Com o suplente nas eleições funciona da mesma maneira. Se um mesário se adoentar, por exemplo, a Justiça Eleitoral convocará outro cidadão que ficou na lista de espera, sendo um inscrito no programa Mesário Voluntário ou um eleitor convocado.

Trabalhar como suplente exige preparação e conhecimento, e como as vezes pode acontecer da convocação acontecer no dia das eleições, cabe ao cidadão se informar a respeito das atividades de quem trabalha na mesa receptora de votos.

O suplente nas eleições deve estar pronto para substituir qualquer um dos membros da mesa. Sendo assim, as principais atribuições que se deve ter conhecimento são:

  • Como mesário – assinar documentos, entregar a ata da eleição, ditar o número do título de eleitor ao presidente da mesa, solicitar assinatura do votante e fazer a entrega dos comprovantes de votação;
  • Como secretário – distribuir senhas, redigir a ata, orientar eleitores, garantir que pessoas com acesso preferencial, como idosos e gestantes, passem à frente na fila e informar ao eleitor se ele está no local certo de votação;
  • Como presidente – é raro que um suplente assuma esse cargo. O presidente inicia e encerra a votação, comunica ocorrências à Justiça Eleitoral e coordena a entrega dos documentos e urnas à Junta Eleitoral

Suplente nas Eleições Tem Direito a Folga

Exercer a função de suplente nas eleições dá ao cidadão o direito de receber um atestado de dispensa do trabalho. Esse atestado é garantido por lei e emitido pela Justiça Eleitoral.

São dois dias de folgas equivalentes a cada dia trabalhado nas eleições. Ou seja, se o suplente trabalhar no 1º e no 2º turno, ganhará um total de quatro dias de folga.

O mais valioso dessa folga é que o empregador não pode negar e também não pode haver desconto salarial pelos dias de descanso do trabalhador.

Suplente Trabalha nas Eleições?

O suplente trabalha nas eleições em caso de ausência de algum dos membros da mesa receptora de votos.

A convocação do suplente pode acontecer antes das eleições, em situações onde um dos mesários justifique o motivo de não poder comparecer.

Outra possibilidade é caso o mesário convocado apenas se ausente no dia da eleição. Nessa situação, o suplente pode ser qualquer eleitor pertencente àquela seção eleitoral.

O presidente da mesa tem autoridade para convocar um cidadão votante para auxiliar no trabalho.

Por isso é importante que as pessoas entendam quais são as funções executadas pelos mesários e secretários nas eleições, pois qualquer um pode, ainda que de última hora, ter que prestar serviço.

Quanto Ganha Para Ser Suplente na Eleição

A função de mesário nas eleições é colaborativa. Não há remuneração para nenhum dos cargos na hierarquia de responsabilidades durante o serviço eleitoral.

Isso significa que a recompensa é a mesma para o presidente de mesa, para os mesários, para os secretários e também para os suplentes.

Suplente nas eleições tem direito a folga de dois dias no trabalho por dia de serviço prestado à Justiça Eleitoral e auxílio alimentação durante os dias da eleição.

Além disso, quem trabalha nas eleições pode usar o serviço como vantagem de critério de desempate em concursos públicos que descrevam essa possibilidade no edital.

Cargo de Suplentes nas Eleições
Cargo de Suplentes nas Eleições

Suplente Pode Cobrar 2 Dias de Folga do Trabalho

Apenas quando o suplente trabalha nas eleições. Nesse caso, a folga, como já falamos anteriormente, é garantida por lei.

No entanto, se não houver necessidade de o suplente cobrir a ausência de um dos membros da mesa, não será possível usufruir do benefício dos dois dias de folga no serviço.

Isso acontece porque não terá sido feito trabalho nas eleições e, por consequência, a Justiça Eleitoral não terá obrigação de emitir o atestado de dispensa do trabalho.

Como Se Tornar Suplente

Para se tornar suplente nas eleições, basta se inscrever no programa Mesário Voluntário no site do Tribunal Regional Eleitoral do seu estado de residência ou aguardar uma convocação feita diretamente pela Justiça Eleitoral.

Ainda pode acontecer do eleitor ser chamado de última hora, no dia da votação, pelo presidente da mesa receptora da sua eleição eleitoral.

Agora que você já sabe qual é o papel exercido pelo suplente nas eleições, assista a esse vídeo curto que explica os detalhes sobre a folga que mesários ganham com seu serviço prestado à Justiça Eleitoral e obtendo duvidas, acesse o blog → Cartório Eleitoral: